Apto Vulgar trás desabafo sobre os últimos anos em seu novo disco “Sabotagem”

Eu vejo as melhores cabeças da minha geração implodindo, de ódio ou de criatividade. 

As coisas não tem sido nada fáceis aqui nos trópicos. Tempos difíceis constroem uma cultura de guerrilha. Tempos injustos fazem surgir uma arte combativa. 

Quando os fascistas calçam as botas e usam as borrachas de apagar ideologia da maneira sistemática como tem sido a praxe dos últimos quatro anos, os nossos ideais precisam se solidificar.

É com esse caldo de cultura que a banda “Apto Vulgar” lança o seu segundo disco “Sabotagem”, movidos por raiva, ódio e todos os sentimentos digníssimos que nos despertam o ímpeto sagrado de levantar da cadeira, calçar os sapatos e sair chutando a boca de fascistas no centro da cidade.

O disco tem o lançamento marcado para o dia 24 de março e o Sonoridade ouviu com exclusividade faixa a faixa, de cabo a rabo, umas três ou quatro vezes, embalados pelas últimas notícias do noticiário cada vez mais sangrento, apocalíptico e desnutrido.

Sabotagem começa com “Estado da Mente” e “Cicatrizes”, letras que trazem reflexões sobre as marcas psicológicas que herdamos com as incertezas da pandemia e com a violência que tem sido ser brasileiro. 

“Não estamos a sós” inicia a sequência de crônicas a respeito da nossa falência política, sistêmica e humana. Na letra, a pergunta é “será que Deus ainda olha por nós?” e eu como um bom ateu, acredito que não.

Em seguida o que se ouve é uma sequência de Hard Core com influências diversas, em alguns momentos Old School e em outros momentos com levadas de baixo percussivas como um bom flow de hip-hop.

É tudo político demais e não nos culpem por isso, nem a nós, nem ao Apto Vulgar, direcionem as queixas aos fascistas que fizeram desse lugar um inferno pra maioria de nós, como no trecho da faixa que encerra o disco “Seja como for” 

“O sol esmaga a nossa gente como antigamente” 

E o nosso dever é gritar, jamais calar.

Veja o clipe de “Tempo e espaço”

A música “Tempo e espaço” presente no novo disco já ganhou um videoclipe e você pode assistir aqui, o take conta com a parceria do Milton Aguiar do BSK

Lançamento nas redes e nos streamings

A previsão do lançamento nacional do “Sabotagem” é na quinta-feira, dia 24 de março em todas as plataformas de música.

Para acompanhar fiquem ligados nas redes sociais do Sonoridade e da banda, o arroba é @aptovulgar

A banda

De Jacareí, interior de São Paulo, a Apto Vulgar existe desde 2012 e é formada por Bonzo (vocal), Dorgs (guitarra), Luciano Leres (bateria) e Rafael “Mortão” (baixo).

Os primeiros singles foram lançados em 2016: Resistência e As Grades, sucedidos em 2017 pelo primeiro disco, ‘Sistema Não Operacional’, de oito faixas de um hardcore direto e reto, metalizado.

​Em 2018 veio um EP, O Inimigo, que assim como o debut, trazia agressividade nos riffs e nas letras para refletir sobre questões políticas e sociais do Brasil, uma marca que o Apto Vulgar carrega até hoje em suas composições.

Nos sigam e deêm um like na gente \m/
error
fb-share-icon

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.