Jimmy & Rats se apresenta no Hangar na última sexta-feira.

O evento ainda contou com a apresentação da banda convidada, Corazones Muertos

Texto e Fotos: Gustavo Diakov

Agradecimentos: Tedesco Mídia

Perto das 19:00 o Hangar abriu suas portas e o pouco publico que ja estava presente aguardando a abertura da casa ja entrou, fazia muito frio na naquela noite, então poucas pessoas ficaram la fora, bebendo sua cerveja, enquanto aguardava o inicio dos shows.

A primeira banda a se apresentar seria o quarteto de Punk Rock & Roll Corazones Muertos, que fez um show enérgico e cativante, e agradou o publico que ja estava presente, cerca de 200 pessoas.

O show teve inicio perto das 20:30, com um Set relativamente curto a banda apresentou musicas ja conhecidas, e do seu trabalho mais recente “Livin´Dead Stories” que você pode conferir nas plataformas digitais:

Durante a apresentação da banda, era gravado um episódio do programa “O Garimpeiro do Rock” programa que conta com a apresentação do Paulo Baron e Orlandinho Custódio e tem objetivo de revelar novos talentos do rock dentro do Brasil.

Segundo Baron, Orlandinho será o “garimpeiro” e a ideia é mapear o Brasil atrás de um “Novo Sepultura” ou “Novo Chico Science”. “Nós já temos um episódio gravado. Agora, vamos para Los Angeles gravar mais 20 dias. Vão ter surpresas com artistas internacionais de primeiro nível. O Orlandinho Custódio será o garimpeiro. A ideia é muito legal. Nosso projeto é mapear o Brasil primeiro com diferentes estilos de rock. Cada estado tem uma cena. Por exemplo, em um estado preciso encontrar o ‘Novo Chico Science’, no outro, o ‘Novo Sepultura’. Em outro, preciso de uma banda que seja de pessoas gays. Quero mapear o rock. Quero alguém cantando em Tupi Guarani dentro do rock. Se tiver bandas de rock ‘travestidos’, quero conhecer também. Nós somos uma mistura de raças no Brasil”, explicou.

Leia mais em: https://whiplash.net/materias/news_723/338636-paulobaron.html

As 21:30, Jimmy & Rats tem inicio, e pelos instrumentos ja sabemos o que podemos esperar do show. Certamente esse projeto do Jimmy é bem diferente do que todos estão acostumados com o Matanza

O show é empolgante e contagiante, Jimmy não para nem por um minuto durante a apresentação, gesticulando durante as músicas e com os colegas de banda.

Músicas com uma levada punk, folk, country fazer o público dançar e criar rodas de mosh, enquanto outros levantam suas cervejas e gritam as músicas. Banjo e acordeão dão um toque especial na apresentação assim como o visual característico em alguns pontos.

Empunhando seu violão e ao som de “Jimmy, gostoso” sabemos que a apresentação ja esta perto do fim, mas isso não é motivo pra “acalmar” o publico que segue cantando todas as musicas em alto e bom som.

Antes da penúltima musica, Jimmy contou uma historia ja conhecida por alguns, sobre um cara que tinha um barco, mas não estava feliz, e depois vendeu o barco, e comprou um avião, mas ainda não era isso que ele queria e etc… a famosa historia deu inicio a “Ela roubou meu caminhão” um grande clássico do Matanza.

Com pouco mais de uma hora de apresentação, o show foi empolgante e não deixou a desejar em nenhum momento ao longo da apresentação. Recomendo a todos darem uma chance de conhecer esse projeto e quem conhece, conferir ao vivo.

Confira galeria de fots completa:

Jimmy & Rats

Nos sigam e deêm um like na gente \m/
error
fb-share-icon

About Gustavo Diakov

Idealizador disso aqui, Fotógrafo, Ex estudante de Economia, fã de música, principalmente Doom/Gothic/Symphonic/Black metal, mas as vezes escuto John Coltrane e Sampa Crew.

View all posts by Gustavo Diakov →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.