End Of Pipe faz história no punk rock nacional com lançamento de “Mass Hysteria”

O End of Pipe lançou recentemente o  clipe de “Mass Hysteria”, vídeo  repleto de referências políticas com estética sonora e visual dentro do camposocial, que recai na urgência em permitir que o indivíduo se expresse contra o descaso do governo e suas políticas públicas através da música. Confira:https://www.youtube.com/watch?v=JWg_AHNGHTg
‘Mass Hysteria’ é a faixa título do álbum do End of Pipe, apresentando uma sonoridade um pouco diferente do que a banda vinha fazendo até então; mais rápida, mais hardcore, com uma pegada mais Bad Religion e uma letra que apesar de escrita antes do começo da pandemia, se mostra extremamente atual.  O disco “Mass Hysteria” marca os 14 anos da banda e consolida a formação como um power trio com Uirá Medeiros (vocal/guitarra) , Rafael Censi (baixo) e Victor Berretta (bateria).

Este álbum é um resumo de todas as influências do grupo, com sonoridades rápidas punk/hardcore californiano ao estilo Epitaph/Fat Wreck Chords dos 90/2000 e por climas mais cadenciados e pesados, remetendo às bandas das gravadoras No Idea Records e Jade Tree Records, com letras e temas atuais e melodias marcantes. 
Produzido por Uirá Medeiros e gravado no Undercave Studio (São José/SC) por Marlon Ramos, “Mass Hysteria” foi mixado e masterizado em Chicago (EUA) por Mark Michalik, que já assinou álbuns de grupos como Much The Same, Counterpunch, The Swellers e We Are the Union, conta com 10 músicas, incluindo os singles já citados, e reúne participações especiais de músicos emblemáticos como,  Mark Vecchiarelli (Shades Apart), Frank Lacatena (Slap of Reality/The Sophomore Effort),  Scott Hallquist  (Ten Foot Pole/DC Fallout), Émilie Pnkmondon (50 Shades of Punk Rock/Excuse me mister) e Felix (Hardlife/Marreta/Kamikazes Refuse). 
Conversamos com a banda sobre suas origens, processo de composição e gravação, influências musicais e fontes artísticas, planos futuros,entre outras curiosidades. Confira!

De onde surgiu o nome “End of Pipe”?
O nome End of pipe nasceu junto com envolvimento do surf , em inglês significa “Fim do tubo”. O termo “ End of Pipe”  que também é uma tecnologia que utiliza filtros para redução de poluentes, aplicada principalmente nas indústrias. No final das contas surgiu um nome bem bacana que envolve o surf com a preservação do meio ambiente.

Como e quando a banda surgiu?
A banda surgiu na cidade de Florianópolis/SC em 2006 na praia do Campeche.
Uirá Medeiros (vocal/guitarra) e Gabriel Brickman (guitarra) vieram da extinta banda Acne Rabble, e convidaram Rafael Censi (baixo) e Cristiano Bittencourt (bateria) para formar um quarteto.
A idéia inicial da banda já era focada na composição de músicas autorais com sonoridade  de“surf music anos 90” (Spy vs Spy, Tsol, Agent Orange…) mesclando com o punk rock/hardcore de bandas como Bad Religion , Pennywise , Samiam, Hot water music, shades apart  e algumas bandas nacionais, tais como Reffer, Rivets, Garage Fuzz que seguiam uma linha melódica que curtimos muito. Fato curioso é quando terminávamos de compor uma canção, falávamos “essa é muito surf” influenciados pelos filmes do cineasta Taylor Steele que eram “recheados” de punk rock/hardcore.

O clipe e o disco da banda foram muito bem recebidos nos sites de música especializada nacionais e internacionais . Como a banda está vendo esse feedback tão positivo do material lançado?
Estamos em nossa melhor fase e muito felizes com a resposta positiva do público e da mídia especializada.. Em 2020 ganhamos o “ Good Shit Awards 2020” como melhor lançamento do ano pelo site Punk Rock Mag entre mais de 193 bandas de todo o mundo, entre elas grandes nomes como Bad Religion , Nofx, Strike Anywhere , Millencolin e outras bandas já renomadas no meio, além de inúmeros destaques em sites e zines do mundo inteiro.  
Ficamos muito felizes sendo uma banda de punk rock da américa do sul em destaque entre tantas bandas incríveis que são referências para End of Pipe.

Suas músicas demonstram muita intensidade e entrega por parte da banda. Existe alguma composição que seja mais especial para vocês?  
Difícil destacar as músicas que são mais especiais da banda, cada uma marca uma fase  , mas sempre tem aquelas que gostamos mais de tocar ao vivo , que são as músicas do último álbum. Foi um trabalho em que tivemos uma organização melhor do que os outros lançamentos, e também foi o trabalho que nos consolidou como um power trio. Praticamente tudo que você escuta no álbum Mass Hysteria é o que realmente tocamos ao vivo, sem aquela guitarra extra para solos e inúmeras dobras etc..fizemos questão de soar como um power trio de verdade, são detalhes assim que fazem toda diferença não soando como “overproduced”. Lançamos um um mini documentário do álbum , mostrando os bastidores e o processo de gravação, você poderá conferir nesse link : https://www.youtube.com/watch?v=zeDsmnKQ8T0

Quais as bandas e fontes artísticas que inspiram o som do End of Pipe?
A banda tem forte influência com a sonoridade californiana do punk rock anos 90 (Bad Religion , Pennywise, Samiam) mesclado com sonoridade de bandas da costa leste tais como Hot Water Music, Shades Apart, Pegboy). A banda cultua a boa e velha cultura do “Faça você mesmo” / “D.I.Y” e que reflete visivelmente na banda.

Como foi o processo de gravação do clipe do full length “Mass Hysteria” ?
A respeito do clipe “ Mass Hysteria” as imagens , concepção e produção foram feitas pela banda, e edição e finalização ficou por conta da Gaby Vessoni, videomaker de São Paulo que já trabalhou com bandas como Billy Biohazard, Hatefulmurder, Cutthroat, Matriarchs, Human Fortress entre outros,e sem dúvida se tornou o nosso melhor trabalho audiovisual. Nosso objetivo foi entregar um material sincero e de qualidade profissional , tão bom quanto as bandas que crescemos escutando.

Como vocês estão lidando com a pandemia de covid 19? Que tipo de interação a banda está tendo com o público nesse momento de pandemia?
Desde o  início pandêmico estamos seguindo todas as restrições recomendadas, evitando aglomerados, usando máscaras, ou seja, se precavendo ao máximo do contágio e proteger os integrantes e familiares. Já faz um tempo que não ensaiamos,  última vez  foi para fazer o Ao Vivo do festival online Bridge City Fest. Felizmente todos integrantes já tomaram a primeira dose da vacina contra o covid, e por esse motivo retornaremos ao ensaios.
 A banda tem interagido muito com o público via redes sociais,  e também com as vendas do nosso merchandising em nossa loja internacional (@epicmerchstore) ou aqui no Brasil diretamente com a banda.

Podemos esperar  mais material inédito em breve?
Fomos convidados para participar de uma coletânea em vinyl pelo selo Dead at Zero Records(Los Angeles/CA) que tem como proprietário Edward Escoto vocalista do Union 13. Antes de qualquer outro lançamento, estamos com foco total nos shows da turnê do disco Mass Hysteria que ainda nem fizemos.

Sabemos que vocês são uma banda que roda muito pelo mundo, como estão os planos para turnês?
A nossa primeira turnê européia está prevista para acontecer no final de agosto/início de setembro de 2022. Iremos excursionar junto com a excelente banda finlandesa The Scum Orchestra em todas as datas e temos shows confirmados em países como Alemanha, Luxemburgo , República Tcheca , Croácia, Eslovênia e Hungria. Nossa ideia é divulgar o álbum e o trabalho da banda no máximo de países possíveis, e tentar tocar em festivais e eventos com cada vez mais relevância. 

“Mass Hysteria”: https://album.link/s/7Em97VLT49uYFHvNirYEIB

Cópia de end of pipe_modified (1).jpg

Nos sigam e deêm um like na gente \m/

About Gustavo Diakov

Idealizador disso aqui, Fotógrafo, Ex estudante de Economia, fã de música, principalmente Doom/Gothic/Symphonic/Black metal, mas as vezes escuto John Coltrane e Sampa Crew.

View all posts by Gustavo Diakov →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *