Review: Conjurer – Páthos

Páthos tem o lançamento oficial marcado para 01/07/2022 via Nuclear Blast

O Conjurer é uma banda que vem se destacando nos últimos anos com seu trabalho, o quarteto apresenta um post-metal/post-hardcore com maestria.

Mire, seu álbum de estreia em 2018 foi eleito um dos melhores do ano por diversos sites, e com certeza “Páthos” deve seguir a mesma linha.

Artwork: Jean-Luc Almond (@JeanLucAlmond)

Antes de seu lançamento oficial a banda divulgou 3 singles, sendo eles: “ït Dwells”, “Rot”e “Cracks in the Pyre”

A introdução de It Dwells já deixa bem claro o que podemos esperar, seguida de acordes simples e desafinados a banda entrega aquele peso e guturais ja conhecidos de trabalhos anteriores. A Oscilação entre o instrumental arrastado e brutal bem distribuído em 7 minutos de musica sem duvidas nos transmite um misto de sensações, entre eles a angustia e o medo sentidos nos gritos de “ï’ll have peace” 

“Rot” segue a mesma linha depressiva e angustiante que se destacam em “it Dwells”mas nesse caso, o que se destaca com mais intensidade são as partes mais viscerais e repugnantes da musica, segunda a própria banda, o intuito é dar voz a esse medo e pavor. Não muito diferente das outras musicas do álbum, o instrumental se destaca pela suas quebras de ritmo durante seus 6:19 minutos de musica.

Outro destaque desse trabalho fica por conta de “All You Will Remember” que também segue uma linha mais leve e arrastada, os vocais limpos do Brady Deeprose (guitarra, vocais) se misturam com os guturais do Dan Nightingale (guitarra, vocais) de forma harmônica transmitindo melancolia e angustia na música. 

“Suffer Alone” e “In Your Wake já são mais agressivas e brutais, instrumentais mais rápidos ligam as duas musicas (características já utilizada nos trabalhos anteriores) sendo possível notar a transição apenas pelo Breakdown que quebra o ritmo das musicas. 

“Cracks in the Pyre” encerra o trabalho e sem dúvidas foi a melhor escolha, essa é a musica mais “distante” do que podemos esperar do Conjurer, mantendo um ritmo mais leve (não tão leve, mas leve, meio leve digamos) mas que não abre Mao dos vocais rasgados e do ritmo cadenciado e arrastado. O clipe da musica  que foi gravado na costa escocesa conversa em todos os momentos com a letra da musica transformando tudo em uma atmosfera única. 

Pra mim, “Páthos” ja se destaca nos 5 melhores do ano, são 50 minutos de pura intensidade e angustia bem distribuído em 8 Faixas longas, porem não cansativas que mesclam Post-metal, Doom, Sludge, e Black Metal. 

Você pode adquirir sua copia de Páthos na pré-venda em: https://conjureruk.bigcartel.com/?fbclid=IwAR0ebnCxMjWkeR6HKAyt5JZu1J1ktc-hiroaGAxpQ2dDHTIb87K_pNKkHHM

Confira o tracklist:

1. It Dwells

2. Rot

3. All You Will Remember

4. Basilisk

5. Those Years, Condemned 

6. Suffer Alone 

7. In Your Wake

8. Cracks In The Pyre

CONJURER é:

Brady Deeprose (guitarra, vocais)

Dan Nightingale (guitarra, vocais)

Conor Marshall (baixo)

Jan Krause (bateria)

 www.facebook.com/conjureruk

www.instagram.com/conjureruk/

www.twitter.com/ConjurerUK

Nos sigam e deêm um like na gente \m/
error
fb-share-icon

About Gustavo Diakov

Idealizador disso aqui, Fotógrafo, Ex estudante de Economia, fã de música, principalmente Doom/Gothic/Symphonic/Black metal, mas as vezes escuto John Coltrane e Sampa Crew.

View all posts by Gustavo Diakov →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.