Anny Cee and The Glory Dogs: cantora conta como descobriu a música e quais são suas influências

Se destacando como uma das principais vozes femininas da atualidade, a cantora Anny Cee vem preparando ao lado de sua banda, a The Glory Dogs, para lançar seu segundo álbum de estúdio, que vem para suceder o debut “Stay”, de 2016. Enquanto isso não ocorre, Anny concedeu uma entrevista exclusiva, onde fala um pouco a respeito de sua história com a música e suas principais influências como cantora. Confira abaixo o que ela tem a dizer.

Como começou sua jornada na música?

Eu comecei desde sempre (risos). Tenho memórias minhas cantando músicas que ouvia na televisão, quando tinha ali por volta de 3 anos de idade. Minha família sempre percebeu que eu gostava muito de música, e que gostava muito de cantar, então sempre fui muito estimulada por eles nesse sentido. Sempre escutei muita música em casa.

Com 8 anos, comecei a fazer aula de coral e violão na escola, e depois disso acabei participando de vários corais, e com 15 anos, entre no “Conservatório Dramático Musical”, onde comecei a fazer canto lírico. Já aos 18 anos, entre para a “Escola Municipal de Música de São Paulo”, também para fazer canto lírico, e essa escola de música é do Teatro Municipal. Eles treinam os alunos para serem cantores no Teatro Municipal. Acabei não indo, mas fiquei 6 anos estudando lá. Após isso, continuei sempre estudando e me aperfeiçoando, fiz faculdade de música, e esse foi o caminho que trilhei.

Vale dizer também, que aos 13 anos já comecei a tocar em bandas de Rock. Tinha uma banda na época, com a minha irmã, e focávamos no Heavy Metal, inclusive possuindo músicas autorais. Ao longo dos anos fui tendo outras bandas, me especializando, fazendo tudo de uma forma mais profissional também.

Fale sobre o material no qual está trabalhando no momento.

Estou lançando agora “O Jogo Virou”, que é uma nova etapa da minha vida musical, porque até então, o meu disco anterior, o “Stay”, ele é bem adolescente, sonhador, com inspirações muito no Pop. Com o tempo, eu quis fazer algo mais maduro, algo com mais distorção de guitarra, com um instrumental mais pesado, com letras que abordam temas diversos. No caso de “O Jogo Virou”, é uma brincadeira. É empoderamento feminino, mas também é uma brincadeira, do cara que deu várias mancadas com a mulher, e ela deu uma “bota” nele, e agora o jogo virou. Quanta gente não passa por isso, tanto do lado da mulher quanto do lado do homem? É uma música bem divertida nesse sentido.

Qual sentimento gostaria que as pessoas absorvessem de sua música?

De “O Jogo Virou”, em específico, eu quero que elas se divirtam. Eu quero que seja um hino, tanto para mulher quanto para homem, para adolescentes também, para todos que passaram por uma situação dessas, como um relacionamento abusivo, ou um relacionamento ruim, não necessariamente abusivo, mas que a pessoa deu a volta por cima, e hoje é o outro ou a outra que está atrás dessa pessoa. Então o refrão da música é um hino para isso, então eu quero que a pessoa que estiver ouvindo, se divirta, e quando passe por uma situação dessas, e realmente o jogo tenha virado para ela, que ela fale para essa pessoa que está importunando, que está seguindo, stalkeando,  “Olhe meu filho, o jogo virou!”.

Para quem ainda não conhece seu trabalho, em quais redes sociais e plataformas de áudio, podem saber mais sobre você e sua carreira?

No Instagram, pode procurar por @annyceesinger ou @annyceeandtheglorydogs. No YouTube, tenho meu canal, que pode se acessado aqui. Já no Spotify, basta pesquisar por Anny Cee ou acessar o link.

Deixe um recado para os leitores.

Vamos ouvir muito “O Jogo Virou”, compartilhar nas redes sociais, nos grupos de WhatsApp. Com a galera que vocês curtem e que sabem que estão passando “perrengue” sentimental, também é legal, vai ser divertido. Quer dizer, não é legal que a pessoa esteja passando “perrengue”, mas vai ser divertido, a música vai ajudar a dar um “up”. Espero que vocês curtam muito o clipe, que compartilhem ele, compartilhem as músicas, e fiquem ligados, porque ainda tem muita coisa para rolar ainda.

Para saber de todas as novidades de Anny Cee, acompanhe as redes sociais da cantora.

Anny Cee and the Glory Dogs:

Anny Cee – vocal

Nando Antonietti – guitarra

Daniel Mignorance – guitarra

André Fernandes – baixo

Maycon Avelino – bateria

Mais informações:

Facebook: https://web.facebook.com/annyceeofficial

Instagram: https://www.instagram.com/annyceesinger/

Instagram: https://www.instagram.com/annyceeandtheglorydogs/

YouTube: https://www.youtube.com/c/AnnyCee

Spotify: https://open.spotify.com/artist/0NfbWua9EhYuibLnOvtQoY?si=HAPkYmCKS-G6WFJs3NxHpQ

Nos sigam e deêm um like na gente \m/

About Tontin

Colaborador do Sonoridade formado em Comunicação Social. Já fez alguns designs para bandas e hoje em dia é produtor de podcast. Tem o conjunto de música jovem Merda como sua banda mais ouvida no Spotify.

View all posts by Tontin →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *