School of Rock: 6 motivos para investir em uma franquia 

Operando em 15 países há mais de 20 anos, a rede de franquias School of Rock apresenta um crescimento rápido no mundo, inclusive no Brasil, onde possui 42 unidades e pretende expandir mais ainda em 2022. 

Desde 1998 existe nos Estados Unidos a School of Rock (Escola do Rock em tradução para o português), uma comunidade idealizada pelo professor Paul Green que, através da música, educa e ensina pessoas a tocarem instrumentos musicais; de crianças a adultos, e vem se expandindo pelo mundo cada vez mais. 

No Brasil, a franquia chegou em 2013 e não demorou para conquistar o mercado brasileiro. Em nosso país já são 42 unidades distribuídas pelos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Rondônia que fazem da música uma ferramenta de experiência transformadora.

Na School of Rock os alunos são apresentados aos instrumentos musicais e aprendem a tocá-los. A base é o rock clássico, mas o ensinamento vai muito além e aborda outros estilos derivados do rock como o grunge, metal, rock nacional, britânico, clássico, pop e folk, assim como também a MPB, jazz, samba, reggae, entre outros. 

A metodologia da School of Rock ainda proporciona ensinamentos que vão além da música e ajudam na formação dos alunos abrangendo ética, desinibição, convívio social, experiências com dinâmica de banda, de palco e trabalho em equipe. Tudo dentro de um ambiente inclusivo onde o bullying e a discriminação não são aceitos. 

E tem mais: a School of Rock possui opção de aulas gratuitas, aplicativo de prática e ambiente acadêmico virtual onde a aquisição da plataforma EM&T Online, a maior escola de música online do Brasil, oferece planos de aulas gravadas e ao vivo à distância, com conteúdos de instrumentos musicais, produção musical, music business e teoria musical. Desse modo, é possível que alunos que residem em cidades onde não há uma unidade da School of Rock também possam participar das aulas. 

Ou seja, a School of Rock é mais do que uma simples escola de música; é uma escola que prepara a pessoa para a vida e que o retorno e a satisfação são garantidos, tanto para o aluno quanto para o investidor. Por isso, listamos seis motivos pelo qual vale muito investir em uma franquia da School of Rock; confira: 

1. Nohall e eficiência

A rede de franquias School of Rock opera no mundo há mais de 20 anos, ou seja, possui um know how de operação muito grande e eficiente. É uma comunidade de mais de 50 mil alunos espalhados em 15 países. Dessa forma, a troca de experiência entre franqueados do mundo inteiro, e dentro do Brasil, é muito intensa. É uma comunidade muito conectada. 

2. Paixão em forma de negócio

A School of Rock é um negócio que une, de uma forma muito interessante, a paixão que engloba música, desenvolvimento de pessoas (crianças a adultos), shows, eventos e conhecer artistas com a parte do negócio em si que é muito bem estruturado. Além de trabalhar com algo intangível, que é algo que você ama, a franquia traz uma segurança para o investidor devido à organização do próprio negócio, e faz com que a operação de uma unidade seja prazerosa. 

3. Desenvolvimento pessoal

Além de desenvolver a parte de técnica dos instrumentos, os alunos são auxiliados a se desenvolverem em questões sociais, de desinibição e de trabalho em equipe. Independentemente se o aluno vai querer se tornar um músico, o trabalho em equipe faz com que ele consiga se expressar na frente do público em qualquer área. 

De acordo com Pedro Aranha, diretor de operações da School of Rock no Brasil, essa parte do ensinamento é algo que é levado para a vida inteira do aluno. “Não importa se ele vai se tornar um advogado, um economista ou um jornalista; a pessoa precisa saber se portar na frente do público e se posicionar em uma reunião, e esse modelo da School of Rock auxilia bastante.”

4. Bom histórico de taxas de retorno

Pedro Aranha, que está à frente das operações da School of Rock no país desde 2015, garante que o retorno financeiro do investimento em uma unidade da School of Rock leva, no geral, em torno de 30 meses. E, o ponto de equilíbrio de uma unidade (que é quando o investidor atinge a linha d’água e começa a ter lucro na operação), leva em média, do momento em que ela abre, em torno de seis a nove meses.  

5. Suporte para a abertura

O acompanhamento do processo de abertura da School of Rock é um grande atrativo para o investidor. O sucesso da operação é totalmente relacionado ao projeto de abertura da escola, que vai do momento da assinatura do contrato até a escola abrir.

Pedro Aranha explica melhor: “Temos um trabalho para apoio desse projeto para garantir que a escola vá abrir o mais rápido possível, com uma equipe mais bem treinada possível e com as ações de marketing já implementadas antes da escola abrir. Sendo assim, quando a unidade inicia a operação, ela já começa a impactar a comunidade onde opera para ter um bom número de matrículas logo no começo. Isso ajuda muito a ter um bom início de operação.”

6. Crescimento rápido

Segundo Pedro Aranha, o crescimento das franquias School of Rock no Brasil tem sido muito rápido. “No ano de 2019, assinamos 20 unidades e, atualmente, estamos com 42 escolas assinadas e 32 em operação; ou seja, há 10 escolas que estão no processo de abertura,” celebra o diretor de operações da School of Rock. 
Para 2022, a meta da School of Rock é a assinar com 15 novas escolas e expandir a franquia para outras regiões do Brasil como nas cidades de Curitiba, Brasília e na região Nordeste: Recife, Fortaleza e Natal.

Texto: Itaici Brunetti colaboração especial para School of Rock Brasil

Nos sigam e deêm um like na gente \m/
error
fb-share-icon

About Gustavo Diakov

Idealizador disso aqui, Fotógrafo, Ex estudante de Economia, fã de música, principalmente Doom/Gothic/Symphonic/Black metal, mas as vezes escuto John Coltrane e Sampa Crew.

View all posts by Gustavo Diakov →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.