Anastácia convida Barol Beats e Afronta MC no remix de Eu Não

‘Eu Não’ é emblemática à carreira de Anastácia, uma das músicas mais pedidas e cantada pelo público em suas apresentações

No segundo lançamento do projeto de remix, a cantora e compositora capixaba Anastácia traz uma ambiência urbana e moderna para a música ‘Eu Não’, originalmente um samba clássico percussivo que exalta a individualidade e a mulher de amor próprio. O lançamento é por meio do selo Toca Discos.

Ouça a versão remix de Eu Não aqui: https://links.altafonte.com/5kqweeb.

A versão remix de ‘Eu Não’ traz Anastácia com dois convidados especiais, Barol Beats e Afronta MC, que encorpam a música com swing e melodias, deixando a composição ainda mais gingada e autêntica.

‘Eu Não’ é emblemática à carreira de Anastácia, uma das músicas mais pedidas e cantadas pelo público em suas apresentações.

“Eu Não empodera pessoas que não querem mais ser contatinho de quem só quer relações superficiais. Não é sobre encontros casuais consentidos, mas sobre o ‘banho-Maria’ em que algumas figuras tentam nos colocar; é sobre perceber o ‘golpe’ e respeitar os próprios limites”, conta a artista.

Para Anastácia, o projeto remix a permite ressignificar sonhos e sons, sem perder suas referências do samba. Agora ela expande – o remix de ‘Eu Não’ é um exemplo de sonoridade expansiva, em que a cantora acolhe batidas eletrônicas, fraseados do rap e a quebradeira do funk à sua composição.

O momento, Anastácia prossegue, é de ir além, na verdade, algo que ela já iniciou no elogiado disco de estreia Anastácia, de 2021. “Não comecei no samba, o samba faz parte do meu caminho, e pra tentar mostrar isso no álbum, optei por não usar alguns elementos como pandeiro de coro, violão de sete cordas, backing-vocal (coristas) etc. Precisei de um piano marcante e de mostrar minha pluralidade através do meu visual e das letras das músicas”.

A música brasileira é, sim, sua raiz, o samba o seu caule e os galhos, flores e frutos, e como uma árvore que prospera, Anastácia agora expande horizontes, livre e ávida por ressignificações.

“Esta é uma versão mais plural, que permite ser tocada em locais mais diversos. A poética é a mesma e agora a levo além do samba”, completa Anastácia.

Uma vida para a música
ANASTÁCIA é uma das representantes da Música Brasileira, que mantém sua base em matrizes étnicas. Formada em Música, integrante do ASA I (Arte Sônica Amplificada) – British Consil/Oi Futuro – e embaixadora do WME Awards By Music2!, a cantora e compositora foi premiada como intérprete pelo CEPE Fundão – PETROBRÁS e pelo Festival SESI Música, o último por dois anos.

Em sua carreira musical fez abertura de shows como o de Hamilton de Holanda, Diogo Nogueira, Jair Rodrigues e Ivan Lins. Foi intérprete do espetáculo Samba Buarque de Hollanda; Fez trabalhos vocais com Zé Renato, Cacique de Ramos, Arlindo Cruz, Monarco e Xande de Pilares. Em 2021 estreou uma de suas músicas na série Os Ausentes, da HBO Max e produziu um videoclipe com duas de suas músicas, o curta de Sou Dessas e Eu Não, lançado no dia 15/10/2021 num evento que reuniu artistas de diversos nichos na rua Sete de Setembro, Centro de Vitória.

Lançado no dia de 2 dezembro de 2021, ANASTÁCIA é seu mais novo trabalho. O álbum traz em seu repertório suas músicas autorais e parcerias como Waltiz Zacarias e outras.

Seu lançamento ganhou uma matéria no G1 destacando suas composições: Anastácia, voz capixaba das rodas cariocas de samba, pede passagem com o primeiro álbum, por Mauro Ferreira, jornalista que escreve sobre música desde 1987, com passagens em O Globo e Bizz.


Anastácia

instagram.com/anastaciaoficiall

https://linktr.ee/anastaciaoficial


Nos sigam e deêm um like na gente \m/
error
fb-share-icon

About Gustavo Diakov

Idealizador disso aqui, Fotógrafo, Ex estudante de Economia, fã de música, principalmente Doom/Gothic/Symphonic/Black metal, mas as vezes escuto John Coltrane e Sampa Crew.

View all posts by Gustavo Diakov →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.