sonoridadeunderground

Com o cancelamento de eventos e shows, e consequentemente com minha demissão do meu emprego, ambos por conta da pandemia, acabei passando mais tempo em casa, e consequentemente passei mais tempo navegando na Internet e no Spotify, conhecendo novas bandas, reuni 10 artistas nessa lista, que merecem um destaque, em meio a tantas novidades na minha playlist pessoal.

Deem uma lida, comentem o que acharam das dicas, se já conheciam alguma, se me recomendam outras, e principalmente, se merece um “Descobertas da quarentena parte 2”

Cult Leader

Cult Leader é uma banda punk/hardcore americana formada em 2013 em Salt Lake City. A banda formada por, Casey Hansen – bateria (ex-Gaza) Anthony Lucero – vocais (ex-Gaza) Michael “Mike” Mason – guitarra (ex-Gaza) e Sam Richards – baixo, e conta com dois álbuns de estúdio, sendo eles “Lightless Walk” (2015) e “A Patient Man” (2018)

Conjurer

Conjurer foi apresentada pelo meu amigo e também redator do Site André Fagundes (Aqui tem uma indicação massa dele, da uma conferida depois) da qual eu gostei muito e escuto todo dia. Conjurer é uma banda de Metal/Post-Metal/Sludge formada em 2014 na cidade de Rugby. O trabalho mais recente deles é o álbum “Mire”, lançado em 2018.

Møl

Møl é uma banda de black metal que mistura também com o shoegaze/Post-Metal, o Møl lançou um álbum e dois EPs e mais uma compilação, seja o álbum o jord, os EPs são “Møl” e “Il”, e a compilação ” l/ll”, a banda vem da Dinamarca, precisamente de Aarhus, posta seu material atualmente pela Holy Roar Records, e estão ativos desde 2012.

Labirinto

Labirinto é uma banda de post-metal brasileira, baseada em São Paulo, formada em 2005. São conhecidos por ser uma das poucas bandas a fazer esse estilo musical no Brasil, com fortes influências de outras bandas bem conhecidas como Neurosis, Isis, Cult of Luna. A banda tem sua própria gravadora, Dissenso Records. “Divino Afflante Spiritu“ de 2019, “Gehenna” de 2017 e Anatema” de 2010 são os lançamentos de estúdio da banda.

tive a oportunidade de conhecer o trabalho deles pessoalmente em março desse ano, quando eles foram convidados para abrir o show do Amenra no país (inclusive, Amenra é uma banda que eu indico pra todas as pessoas possíveis, fikdik)

Asagraum

Asagraum é uma banda de Black Metal, formada em 2015 composta apenas por mulheres. Originalmente era um projeto internacional baseado na Holanda e na Noruega. Tornou-se uma banda baseada em apenas na Holanda depois que a baterista T. Kolsvart deixou a banda em 2017. A banda conta com dois álbuns de estúdio, “Dawn of Infinite fire” de 2019 e “Potesta Magicum Diaboli” de 2017.

A banda iria se apresentar no Extreme hate Festival, que aconteceria esse ano.

Coronatus

Parece até ironia, em meio uma pandemia de um vírus eu conhecer uma banda chamada Coronatus, pois é, Coronatus é uma banda alemã que mescla gothic metal à elementos de power metal. A banda se diferencia das outras por possuir duas vocalistas; Carmen R. Schaefer e Ada Flechtner, ambas com tons de voz diferentes. O grupo segue os mesmos caminhos de outros já consagradas no estilo, como Nightwish e Epica. “Lux Noctis” (2007) “Porta Obscura” (2008) “Fabula Magna” (2009) “Terra Incognita” (2011) “Recreatio Carminis” (2013) “Cantus Lucidus” (2014) “Raben im Herz” (2015) “Secrets of Nature” (2017) “The Eminence of Nature” (2019) são os álbuns de estúdio deles, opção não falta para conhecer melhor o trabalho deles e adicionar a sua playlist pessoal

Dirge

Dirge é uma banda francesa de heavy metal formada em 1994 em Paris. Evoluiu do gênero metal industrial em direção a um som mais atmosférico e progressivo, relacionado com post-metal de bandas como Neurosis, Isis e Cult of Luna. “Down, Last Level” (1998), “Blight And Vision Below A Faded Sun” (2000), “And Shall The Sky Descend” (2004), “Wings Of Lead Over Dormant Seas” (2007) e “Elysian Magnetic Fields” (2011).

Fvneral Fvkk

Fvneral Fvkk vem direto de Hamburgo, Alemanha, banda de Doom Metal, com apenas um ep “Lecherous Liturgies” (2017) e um álbum “Carnal Confessions” de (2019).

“Carnal Confessions” apresenta um som arrastado e vocais inteligíveis levado em cadência morosa típica do estilo, recheado de riffs pesados. A parte melódica se entrelaça com uma temática eclesiástica bastante controversa. “Chapel of Abuse” faz o peso doom esmagar o sofrimento daqueles que padecem de abusos na igreja. “Alone with the Cross” acentua a temática na bizarrice descrevendo o que certos indivíduos da igreja fazem quando estão solitários e entediados, mas possuem apenas um grosso crucifixo de madeira na mão. vale a pena ouvir e tirar suas próprias conclusões.

Bonfire Season

Bonfire Season é um projeto musical que foi criada em meados de 2017 por integrantes de bandas ativas do cenário musical de São Paulo/ Brasil , com o intuito de experimentar novos caminhos , o projeto tem como proposta uma sonoridade depressiva e melancólica , com riffs pesados e carregados de sentimento que proporcionam aos ouvintes uma montanha russa de emoções. composta por : Vocal – Luca Ribeiro (Ex Crossfear) Guitarra – Ricardo Quatrucci (Sudakah) Bateria – Rodrigo Secheusk ( Punição, Sudakah) Baixo – Guilherme Boschi (Sudakah) a banda apresenta um trabalho único que vale a pena conhecer, eles tem um EP com 4 músicas disponível nas plataformas digitais.

Khemmis

Também por indicação do André (ohh mininu baum pra indicar umas bandas) conheci o Khemmis que é uma banda americana de Doom Metal de Denver, Colorado, formada em 2012. Seu segundo álbum de estúdio, Hunted, ficou em 11º lugar nos 20 melhores álbuns de metal da Rolling Stone em 2016 e 1º nos 40 melhores álbuns de 2016 da Decibel Magazine.

Absolution (2015), Hunted (2016) e Desolation (2018) são os álbuns de estúdio (Desolation particularmente é meu favorito)