sonoridadeunderground

RESENHA: WILD HUNT “Awakening of The Wild Spirits”

RESENHA:  WILD HUNT “Awakening of The Wild Spirits”

O álbum é conceitual, e trás através de uma história típica da cultura pagã européia, mensagens sobre as consequências de atitudes através da ira, e a importância da inteligência emocional e o discernimento em nossas decisões.

Bem cadenciado, em alguns momentos os tímbres vocais lembram o de David Vincent ( ex Morbid Angel, I Am Morbid ) em seu atual projeto o Vltimas. Algumas orquestrações , juntamente as linhas de guitarra, mostram influências de Dimmu Borgir fase “For All Tid” e “Stormblast”, porém com tímbres e mixagens com ar mais contemporâneo . Guitarras a la Dissection no clássico “Storm of the Lights Bane” muito bem trabalhadas.



O som da banda, mostra maturidade e solidez na proposta apresentada, com solos bem executados, riffs diretos, e linhas sinfônicas feitas de forma envolvente, não tornando o som massante, ou com demasiado apelo comercial.

Destaque para as faixas “Mother Sister Love” que conta com vocais femininos, “Glade Gathering” que é bem fiel ao estilo, e te faz sentir em um trailer do filme Coração Valente, e a última “The High Palace” que começa de forma arrebatadora, e fecha o álbum com maestria.


1 – Awakening of the Wild Spirits ( 5:04 )

2 – Savage Rebel ( 4:53 )

3 – Mother Sister Lover ( 4:37 )

4 – Glade Gathering ( 4:26 )

5 – Sword ( 3:13 )

6 – The High Palace ( 4:51 )

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *