Luz Branca, sombras, vestimentas pretas e som agressivo, essas foram às características da apresentação dos Belgas do Amenra.

 

O show se iniciou com um atraso de 30 minutos, causado pela demora na troca de palco entre as bandas que utilizavam de uma grande variedade de instrumentos. Mesmo com o atraso o público aguardou calmamente o início da apresentação, que se iniciou com “Boden” e logo no início já era possível sentir a atmosfera causada pela apresentação. Sem acessórios no Palco, sem luzes coloridas, as únicas coisas que eram possíveis de notar eram as imagens que apareciam de forma aleatória no fundo branco e a fumaça que era jogada no palco de forma discreta.

 

De costas para o público na maioria do show, Colin H. van Eeckhout mostrou empenho e dedicação em sua apresentação e em alguns momentos era possível ver marcas vermelhas em seu corpo. Vocal agressivo e gritos angustiantes se comunicavam com os riffs pesados das guitarras de Mathieu J. Vandekerckhove e Lennart Bossu.

 

Os intervalos entre as músicas eram breves, dando uma pausa apenas para tomar uma água ou afinar os instrumentos. Setlist composto por 8 músicas rendeu pouco mais de 1 hora de show e fez a alegria de todos com “Razoreater” e “Solitaire Reign”. Sem falar sequer uma palavra com o público, a banda encerrou a apresentação com “Diaken”

 

Confira o Setlist:

 

  1. Boden
  2. Plus près de toi
  3. Razoreater
  4. Thurifer
  5. A Solitary Reign
  6. Nowena
  7. Am Kreuz
  8. Diaken

 

 

A Aberturas dos shows da noite ficaram por conta do Basalt e Labirinto. Basalt fez um show enérgico do início ao fim, com um vocal agressivo, riffs pesados e melodias agressivas, a banda mostrou seu trabalho, apresentando músicas dos últimos discos. O vocalista deixou bem claro sua posição política e afirmou que se “você não é parte da solução, é parte do problema” e afirmou que no metal não existe espaço pra conservador.

O Labirinto foi a segunda banda a se apresentar, com um post-metal em maior parte instrumental, a banda iniciou o show com “Agnus Dei” logo no inicio algumas musicas contou com a participação do Eric Paes, da Obscvre Ser.  Outra participação foi a do Bruno Araujo, da De Carne e Flor e Ravir.

Após as participações, músicas instrumentais foi o grande destaque do grupo, que mostrou sintonia na apresentação. Certo momento do show, Jonas Pereira se juntou aos tambores, produzindo um som de arrepiar. Músicas como “Eleh Ha Devarim” e a “Divino Afflante Spiritu”, ambas do último álbum.

 

Galeria de Fotos: https://flic.kr/s/aHsmLKWQSh

 

Texto e fotos: Gustavo Diakov

Agradecimentos: Collapse Agency / Xaninho discos.